Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mãos Cheias de Nada

Retalhos dos meus dias tristes...

Mãos Cheias de Nada

Retalhos dos meus dias tristes...

20.Mar.18

Little White Lies

Inês Santos
 “Se contarmos a verdade, com o tempo ela torna-se parte do nosso passado, se contarmos uma mentira ela torna-se parte do nosso futuro” Estima-se que um adulto minta cerca de 7 vezes por dia. Assustador não? Faz-nos pensar como é possível… Mentir? E mentir tantas vezes?? Evidentemente fala-se aqui de pequenas mentiras, as chamadas White Lies. Por definição, são pequenas mentiras, inofensivas e bem-intencionadas, com as quais se evita ferir os sentimentos do próximo. A (...)
19.Mar.18

Saber sem saber porque se sabe

Inês Santos
 Segundo o Dicionário da Língua Portuguesa Intuição é: “Percepção instintiva. Conhecimento imediato. Pressentimento da verdade.” Albert Einstein disse que “a intuição nada mais é que o resultado da experiência intelectual anterior”. São muitos os estudos sobre este nosso sexto sentido que comprovam que nada tem de místico. Esta espécie de certeza interior que muitas vezes sentimos é uma capacidade do cérebro que envolve o cruzamento de informações dos dois (...)
19.Mai.17

Solteirices

Inês Santos
 Quantas vezes ouvimos a velha máxima “mais vale só que mal acompanhado”. Garantidamente eu própria fiz esta afirmação mais do que uma vez. Mas pergunto-me se não é simplesmente o caminho mais fácil. Contornamos a solidão, preenchemos espaços vazios e evitamos que alguém entre na nossa vida. Sei o que é estar só, sei o que é a solidão a dois. E sei o que é partilhar uma vida, uma casa, um tecto. E seguramente a partilha é a que dá mais trabalho, cansa, exige (...)
14.Mai.17

Myself & I

Inês Santos
Sabia que um dia iria escrever-te esta carta, talvez demasiado pessoal e íntima, mas era certo e sabido que viria responder-te. Também eu queria deixar no papel o testemunho das minhas palavras, dos meus sentimentos, das minhas lutas. E das minhas vitórias. Confesso que nunca pensei que fosse em tão pouco tempo…E se tivesse que resumir os sentimentos que carrego no peito num único, seria orgulho. Orgulho na minha capacidade de discernimento, orgulho na força interior, orgulho na (...)
22.Dez.16

Forgive & Forget

Inês Santos
Afinal o que é o perdão? Perdoar é esquecer? Perdoamos mas não esquecemos? Só perdoamos quando efectivamente esquecemos o que nos magoou?Perdoar não tem necessariamente que ser esquecer. Até porque o que é passível de ser esquecido provavelmente não terá grande importância...se não tem importância, não há o que perdoar…Há momentos na nossa história que são extremamente difíceis. Todos, a dada altura, enfrentamos situações que nos magoam, abrem feridas, geram (...)