Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mãos Cheias de Nada

Retalhos dos meus dias tristes...

Mãos Cheias de Nada

Retalhos dos meus dias tristes...

17.Jun.16

Vénus vs. Marte

tumblr_m6fn5rHIkj1rst6ti.png

 

 Os homens são de Marte a as mulheres são de Vénus. Estudos, livros, programas televisivos mostram-nos que é assim. Os homens são de Marte e as mulheres de Vénus. Enquanto a nossa mente está constantemente ocupada com os mais diversos assuntos, eles sentam-se em frente à TV, fazer zapping durante 10 minutos e ainda assim mantêm a mente vazia.

As mulheres tendem a ser complicadas e os homens a descomplicar demasiado. Escondemo-nos atrás de clichés criados por uma sociedade ainda muito patriarcal e esquecemo-nos que a evolução humana tem vindo a deitar por terra a era da submissão feminina face a um machismo predominante. Conquistaram-se direitos e modificaram-se valores. Os homens conquistaram o direito de se emocionar, de deixar cair uma lágrima, de acarinhar os filhos e as esposas, sem que com isso seja menos homens. Diria quase que hoje um homem pode ter atitudes mais efeminadas, que nem por isso será menos viril, pelo contrário. Mas no entanto, continuam a refugiar-se na ideia simplória de que uma boa mesa e uma boa cama, muito futebol e amigos permite-lhes atingir o auge do bem-estar.

Nós mulheres continuamos a precisar de mais, muito mais, e exigimos. Mas não é aqui que pecamos. Foi-nos dado o direito de querer mais. A questão é que nos esquecemos que nós somos de Vénus e eles são de Marte, e como tal não podemos exigir que falemos a mesma linguagem. E muito menos por telepatia! Aprender a comunicar assertivamente é um desafio. Saber expor de forma honesta e clara os nossos sentimentos, as nossas necessidades, as nossas emoções, respeitando as vulnerabilidades do outro é, certamente, a forma mais inteligente de lidarmos com o que nos preocupa. No entanto, na grande maioria das vezes, seguimos outro guião, e esperamos que um amuo, um castigo, faça com que eles entendam as nossas necessidades. Doce loucura a nossa pensar que eles vão conseguir ler tudo o que congeminamos nestas mentes agitadas e saber como agir no momento a seguir. E o surto de emoções negativas aflora-nos à pele dando lugar a acusações e reprovações que nem com a melhor das intenções são toleráveis. As discussões muito intensas e sistemáticas, tendem a criar ciclos em que nós mulheres necessitamos de estender a discussão até que "o problema" esteja resolvido. Enquanto isso, os homens passam a encarar a própria discussão, e a nossa insistência em esclarecer, como uma forma de eternizar o problema. Aos olhos deles as discussões passam elas próprias a ser "o problema", pelo que fogem delas.

E é neste jogo do gato e do rato que é necessário compreender que os homens vêm de Marte e as mulheres de Vénus. A comunicação perfeita é idealista e certamente irreal quando os intervenientes não são desprovidos de sentimentos. Real é compreender que entre nós e a perfeição há uma centena de potencialidades de crescimento e aprendizagem tanto para quem vem de Marte como para quem chegou de Vénus.